Diário de Um Jardim

<<-@ ... As divagações filosóficas de uma rosa e seus amigos ... @->>

quarta-feira, fevereiro 23, 2005

A noite sem amanhã

O caracol é persistente, ele tenta recomeçar..., tenta sonhar novamente..., tenta..., tenta... Por vezes, acha que está no caminho certo..., sente-se feliz com presenças tão doces... Mas, há dias em que a nostalgia o domina por completo. A nostalgia do que foi..., do que poderia ter sido..., as saudades do futuro... Ele procura justificativas..., mas não as encontra... Até sua capacidade de sonhar é cada vez menor. A dureza da realidade o cerca por todos os lados e sempre o traz de volta à terra úmida. E, o que é pior, ele está se acostumando a esta terra. Nos momentos de lucidez teme pelo dia em que estará tão identificado a ela ..., que não mais se poderá distingui-lo; seus sonhos estarão incorporados à terra de uma vez por todas. Então, o caracol terá sido mais um dos lampejos que existiram neste grande jogo de espelhos... O caracol sempre procurou uma "saída verdadeira"; agora, se contenta em encontrar uma saída qualquer... Será que ela existe? Poderá ele ainda construir uma? O caracol procura palavras que consigam expressar o que se passa em sua alma..., mas hoje, nesta noite tenebrosa, está difícil encontrá-las... Lembra-se, contudo, das palavras de alguém que viveu isso muito antes dele..., palavras de rara beleza que ele pede permissão para fazê-las suas neste momento: "E abertamente entreguei meu coração à terra séria e doente, e muitas vezes, na noite sagrada, prometi amá-la fielmente até a morte, sem medo, com a sua pesada carga de fatalidade, e não desprezar nenhum de seus enigmas. Dessa forma, liguei-me à fatalidade por um elo mortal." (Hölderlin, A morte de Empédocles)

1 Comentários:

Blogger Abelha disse...

Não entendo por vezes o que pode afligir tanto meu querido caracol.Mas depois paro e me olho...eu entendo sim.Esse foi um daqueles dias em que o mundo parece não entender o que mais profundo temos na nossa alma. Existem forças externas que dizem o que pode ser certo, o que pode ser belo...mas que pode ser triste...Tem horas em que nós não gostamos do que vemos ou do que somos ou até mesmo daquilo em que poderíamos ter nos transformado.
Não fique triste,querido caracol.Foi apenas uma noite escura,sombria,que trouxe lembranças do passado e do futuro.Mas esse vento já foi embora.Pode abrir os olhos agora,porque EU estou com você,do seu lado,quando precisar.

10:00 AM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial